Natureza | Azedinha ou trevo.

Diversos representantes da família botânica Oxalidaceae são conhecidos de muitos brasileiros, sendo atribuídos a essas plantas diferentes nomes populares: Azedinha, Trevinho, Trevo, Trevo-azedo, dentre outros. A família Oxalidaceae possui ampla distribuição e seus representantes podem ser encontrados em diversos lugares do mundo. Para o Brasil são listadas 97 espécies, de acordo com a Flora do Brasil. No passado, muitas espécies de Oxalis eram chamadas de plantas daninhas, mas atualmente algumas são classificadas como plantas bioindicadoras, ou seja, elas detectam a qualidade do solo e indicam se aquele é um solo bom, fértil, ou não.
As azedinhas são ervas que apresentam raízes bem desenvolvidas. A maioria das espécies possui raízes ramificadas que se propagam com facilidade pela parte subterrânea do solo, o que garante a essas pequenas plantas um grande sucesso de desenvolvimento. As folhas em forma de trevo são uma característica marcante desse grupo de plantas. Durante a noite, as folhas se tornam reflexas, ou seja, se fecham para que a planta economize energia. As flores sempre possuem 5 pétalas que podem ser amarelas, verdes, róseas, roxas, alaranjadas ou brancas. O fruto é, geralmente, bem pequeno e do tipo cápsula que se for apertado entre os dedos, se rompe lançando bem longe as pequenas sementes.  Habitam com muita facilidade, ambientes e solos pouco férteis e com suas raízes profundas conseguem promover aeração e movimentação do solo, enriquecendo com matéria orgânica a partir do momento que suas folhas são depositadas no solo. Algumas espécies são comestíveis e podem ser classificadas como Plantas Alimentícias Não Convencionais – PANC. É o caso de Oxalis barrelieri, cuja parte aérea da planta pode ser utilizada em preparos culinários, tanto crua como cozida ou refogada. Podem ser preparadas saladas com suas folhas e talos, refogados e até sucos. Das folhas de Oxalis latifolia pode ser preparada geleia, saladas e sucos. Diferentes espécies de plantas são comercializadas como Trevo-de-quatro-folhas. Dentre elas está Oxalis tetraphylla, representante da família Oxalidaceae, facilmente é encontrada em floriculturas e lojas de plantas no Sudeste do Brasil. A espécie é nativa do México, se adaptou muito bem ao clima brasileiro e vem sendo cultivada em diversos lugares do país. Aos Trevos-de-quatro-folhas são atribuídos diversos significados e simbolismos, sendo todos eles indicadores de sorte. Importante ressaltar que a espécie que se tornou popular por trazer sorte àqueles que a possuem não é a O. tetraphylla e sim Marsilea quadrifolia, uma planta aquática, nativa do Hemisfério Norte e parente das samambaias, que não produz flor. Diferente de O. tetraphylla que se reproduz por sementes ou até mesmo por bulbos, Marsilea quadrifolia multiplica-se por esporos e seu cultivo exige muito mais cuidados.  Cultivar os Trevinhos e Azedinhas da família Oxalidaceae é relativamente simples, porém requer alguns cuidados. Como essas plantas não são comercializadas, dificilmente se encontrará no mercado de flores as sementes para o plantio. Neste caso deve coletar plantas em vias públicas como calçadas, beiras de muros, terrenos baldios, bordas dos vasos e locais onde a ocorrência é bastante comum, mas é muito importante salientar que plantas coletadas em locais com poluição não devem ser consumidas ou ingeridas. A sugestão é coletar as plantas, replantá-las em vasos ou canteiros e a partir da próxima geração de plantas (cerca de três meses), consumi-las com segurança e sem a presença dos elementos contaminantes que podem estar depositados sobre as folhas das plantas das ruas. Para replantar, um pequeno vaso com solo enriquecido com humos ou apenas terra vegetal é suficiente para que as plantas tenham um bom desenvolvimento. Toleram luz solar direta e solo úmido, porém, nunca encharcado.

Natureza | Jarro da Itália .

Esta planta da família das Araceae tem a sua origem nas terras do Mediterrâneo. Além disto deve saber-se que esta planta gosta muito de climas frescos e é uma flor silvestre muito comum desta zona do mundo. Da mesma forma é importante conhecer que o jarro é uma planta de tipo perene que conta com o seu desenvolvimento no outono, embora a sua floração se dê no verão. As formosas flores desta planta são em forma chifre. Estas possuem lóbulos de tipos divergentes que podem apresentar umas manchas de cor branca. Além de flores também podemos encontrar frutos, os quais se encontram em forma de baga. Contudo estes frutos são tóxicos, pelo que em nenhum caso deverão ser consumidos. Se se desejar cultivar esta planta deve-se conhecer que não é muito exigente. Quanto à luz, esta deve ser cuidada da exposição direta da luz do sol já que pode causar-lhe danos. Por isso devem procurar-se sítios sombrios e sobretudo que sejam frescos. Quanto à terra, esta deve ser generosa, por isso recomenda-se a plantá-la num jardim. A água a administrar deve ser medida, mas sempre dosificada de forma muito frequente. Desta forma recomenda-se a rega deixando passar apenas um dia entre cada uma delas. Significado da Jarro-de-Itália Quanto ao significado desta flor, esta representa a alma. No caso do branco, do rosa ou do vermelho, estaremos a expressar amor e desejo carnal. Se for amarela, os sentimentos serão muito mais do coração.

Natureza | Malmequer.

Eu gosto muito de malmequeres é um flor de menina…transporta-me para a infância e para a lenga-lenga malmequer, bem-me-quer, muito…pouco ou nada… Não devia haver jardins sem malmequeres !!
Os da minha infância, os verdadeiros malmequeres, que sempre tive no jardim eram os brancos com o centro amarelo..depois começaram a aparecer os malmequeres africanos (osteospermum) de todas as cores, no nosso jardim havia sempre as cor-de-rosa que a minha avó adorava. Hoje em dia a variedade é muita e podem ser presença obrigatória no jardim, se não quer ter muito trabalho, gosta de flores todo o ano podem ser a escolha certa. Aqui ficam algumas imagens inspiradoras..Alguns ( como os crisantemos) são uma boa escolha para plantar no final do verão pois vão dar muita cor no outono e inverno.
São muitas as plantas a que vulgarmente se chama malmequeres, têm em comum o facto de pertencerem à grande família das Asteráceas ou Compostas.
São geralmente plantas muito resistentes embora gostem de solos ricos em matéria orgânica e bem drenados, não precisam de grandes cuidados de manutenção e têm a grande vantagem de terem períodos de floração longos, chegando a estar em flor durante todo o ano. Embora se adaptem a todo o tipo de jardins e muito bem em vasos ou floreiras eu gosto de os utilizar em grandes maciços, junto a muros, caminhos, paredes, etc onde possam crescer e florir o ano todo. Em vasos..
São plantas que gostam de sol e à sombra começam a ficar feias e com pouca flor. Não precisam de sol todo o dia, dão-se muito bem em zonas com sol só de manhã ou só de tarde.
Têm ainda a grande vantagem de como as suas flores são chamativas serem excelentes para atrair insetos polinizadores e protegem algumas das culturas da horta de algumas pragas, há quem diga que ajudam na proteção das pragas dos tomates. Embora sejam plantas perenes (cujo ciclo de vida tem a duração de 3 ou mais anos) ao fim de dois ou três anos convém levantá-las, limpá-las, podá-las e dividir as touças, pois se não o fizermos as plantas envelhecem e começam a ficar secas por baixo e a dar menos flor. São lindos para utilizar como flores de corte, ramos, vasos, jarros, centros de mesa...basta imaginação..

Natureza | Ócnas amarelas.

As Ócnas são lindas plantas arbustivas que funcionam bem como plantas decorativas. Além de bonito, esse arbusto é também muito resistente e maleável sendo de fácil cultivo. Os caules dessas plantas são bastante envergados o que garante que as flores fiquem viradas para baixo. Também podemos destacar que as flores são bastante peculiares. O fruto das Ócnas pode ser visto no verão e a sua floração ocorre durante a primavera e, aliás, é muito bonita. De um tom amarelo bastante vivo as Ócnas são um destaque em qualquer jardim. O bom cultivo exige de você apenas cuidados específicos e nada de muito especial. O nome científico das Ócnas é Ochna serrulata e pode ser um pouco difícil de achar. Como se trata de um arbusto mais difícil de ser visto torna-se digno de admiração sempre que pode ser comtemplado. O seu jardim certamente ficará muito mais bonito com a presença de Ócnas.

Natureza | Erysimum.


Erysimum

Nome científico: Erysimum cheiri.

Planta herbácea bienal ou perene, apresentando uma ou mais hastes bastante ramificadas que atingem de 15 a 80 cm de altura.
As folhas são estreitas e pontiagudas, podendo atingir até 20 cm de comprimento. As inflorescências apresentam flores de sépalas verde-avermelhado e pétalas arredondadas com 2 a 3 cm de comprimento, em tons que variam do amarelo brilhante ao vermelho e roxo. Você pode planta-las em jardim ou em floreiras. Elas são lindas e deixarão seu ambiente bem colorido com as flores silvestres.